Reforma do aeroporto de Campo Grande impulsiona mercado da aviação em MS, avalia governador!

Reforma do aeroporto de Campo Grande impulsiona mercado da aviação em MS, avalia governador

Após obras, terminal de passageiros ficará 65% maior.

Edemir Rodrigues/Subcom

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) autorizou nesta quinta-feira (18) o início das obras de reforma e ampliação do Aeroporto Internacional de Campo Grande. Com investimento público de R$ 39,9 milhões, o serviço de modernização do local será iniciado em agosto, com previsão de término em dezembro de 2020.

Na cerimônia de autorização, o governador Reinaldo Azambuja destacou que a reestruturação do aeroporto, aliada a redução do imposto sobre o combustível da aviação em Mato Grosso do Sul, promete impulsionar o mercado da aviação regional. Recentemente, o Governo do Estado reduziu o ICMS do querosene para a operação de novos voos.

"Essa modernização do aeroporto vem no momento em que acabamos de editar o programa ‘Decola MS', que possibilita a redução do imposto do combustível. Essas ações juntas da abertura do mercado da aviação civil para empresas com capital estrangeiro vão impulsionar a malha aeroviária regional com novas oportunidades, até com a possibilidade de reduzir custo das passagens", afirmou o governador.

Secretário nacional da Aviação Civil, Ronei Glanzmann ressaltou a posição estratégica de MS na malha aeroviária nacional. Para ele, o Estado tem condições de ser tornar hub de conexão devido a localização próxima com Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai. "Para isso temos a necessidade de ampliar esse terminal de passageiros de Campo Grande, especialmente porque estamos trabalhando para atrair novas companhias aéreas para o Brasil", pontuou.

Obra
O presidente da Infraero, brigadeiro do ar Hélio Paes de Barros, revelou que o contrato para a obra de modernização do aeroporto contempla elaboração dos projetos básicos e executivos; a reforma, ampliação e modernização do terminal de passageiros; a construção de nova Central de Utilidades, Central de Gás e Reservatórios; além da adequação das vias de acesso ao aeroporto.

"Essa obra vai recuperar a demanda que a gente tinha. Hoje trabalhamos no Aeroporto de Campo Grande com cerca de 2,5 milhões de passageiros/ano e vamos a 4,5 milhões. Vamos praticamente dobrar a capacidade", explicou o presidente da Infraero. A intervenção no aeródromo ainda contempla a climatização do terminal e os sanitários.

Fonte: Subcom