OceanAir terá jatos Airbus somente em 2011

O diretor comercial da OceanAir, Renato Pascowitch, anunciou que para suprir o aumento da demanda esperada com a ampliação dos voos da companhia, a OceanAir prevê agregar mais dois aviões à sua frota ainda este ano. Ao mesmo tempo, a empresa já planeja iniciar a troca das 14 aeronaves modelo Fokker 100 por modelos Airbus 319 e 320 a partir de 2011.

Pascowitch disse que, em um primeiro momento, não há necessidade de aumentar a frota para atender mais 30 operações diárias a partir do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Mas acrescentou que a expectativa em relação o mercado, mesmo em tempos de crise, é boa e justifica o acréscimo de até duas aeronaves este ano. "Há um projeto para trazer mais um ou dois aviões que estão na Colômbia. Se o mercado responder bem, podemos até trazer mais", afirmou o executivo.

Os aviões que serão incorporados à frota da OceanAir estão sendo operados pela colombiana Avianca. As duas empresas fazem parte do grupo Synergy. A partir de 2011, no entanto, os Fokker 100 serão substituídos por modelos Airbus. O grupo Synergy prevê 74 novos aviões, dos quais 28 seriam direcionados para a OceanAir. "A confirmação dessas 28 aeronaves vai depender da demanda que teremos daqui para a frente. Podemos voltar a ter voos internacionais, e esses modelos seriam necessários", observou Pascowitch.

A partir de 18 de maio a OceanAir não terá mais voos partindo do Galeão. Na mesma data, a empresa passa a ter 30 operações diárias a partir do Santos Dumont. As informações foram confirmadas na tarde de quarta-feira (06/05) pelo diretor da companhia, Renato Pascowitch, em coletiva de imprensa realizada no Rio de Janeiro.

Com a ampliação da malha aérea a OceanAir passa a voar mais de 90 trechos, com crescimento da oferta de 30 mil novos passageiros por mês. Atualmente são transportados 161 mil mensalmente.

As rotas Rio de Janeiro - São Paulo (Guarulhos) e Rio - Brasília, operadas atualmente no Galeão serão transferidas para o Santos Dumont. No entanto, a estrutura da companhia no aeroporto internacional vai permanecer a mesma, as equipes que trabalham no Galeão prestando atendimento aos passageiros não deixarão de existir. "Podemos retomar essas operações do Galeão mais para frente, mas nesse momento não fazia sentido deixar somento esses dois voos. A melhor opção, sem dúvida, foi a escolhida, juntar tudo no Santos Dumont", justificou.

Do Santos Dumont partirão oito frequências (ida e volta, totalizando 16) para Congonhas, cinco (ida e volta, totalizando 10) para Guarulhos, uma (ida e volta) para Brasília e uma (ida e volta) para Belo Horizonte. Também saindo do aeroporto central do Rio de Janeiro existirão rotas para Porto Alegre e Florianópolis, com conexão em São Paulo.

Fonte: JETSITE