Mercado domestico de aviação começa a se livrar da crise, diz TAM

O vice-presidente de Finanças da TAM, Líbano Barroso, afirmou hoje que o mercado de aviação nacional já começa a se recuperar da fase mais aguda da crise internacional. Segundo ele, a oferta de assentos da companhia aérea deverá aumentar entre 18% e 20% neste ano, a despeito da crise. 

"O mercado vai bem. Tem o desafio da crise, mas começa a corrigir a partir de julho", destacou Barroso, que participou de palestra no Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), no Rio. 

O executivo ressaltou que o mercado doméstico cresce cerca de 20% em julho, depois de uma alta de 3,2% entre janeiro e junho. Segundo ele, a indústria tem reduzido preços para reaquecer a demanda e, em média, os preços cobrados pela TAM estão entre 15% e 20% menores que as tarifas de 2008. 

Barroso não quis antecipar dados dos resultados da companhia no segundo trimestre, que só serão divulgados em agosto. Porém, disse que a TAM enfrentou um "período desafiador" devido à crise e ponderou que a queda do dólar e dos preços do petróleo contribuem para reduzir dívidas e custos da companhia. 

O executivo acrescentou que a demanda nas rotas para Buenos Aires já voltou a crescer na última semana, após forte redução por conta da gripe suína. 

Barroso afirmou ainda que a abertura do Santos Dumont para voos além da ponte aérea Rio-São Paulo não comprometeu as rotas internacionais mantidas pela empresa no Galeão. Segundo ele, a demanda por Nova York, Miami e Paris, a partir do Rio, continua forte. 

"Houve diminuição de alimentação no Galeão, que tem agora menos voos domésticos. Mas, do ponto de vista dos nossos voos internacionais, eles continuam viáveis", completou. 

Fonte: (Rafael Rosas | Valor Online)