Mercado da Aviação Civil em Alta no Brasil - Excelentes projeções até 2025

O secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, afirmou há pouco que o governo espera chegar a 2025 na marca de 200 cidades atendidas pelo transporte aéreo no Brasil. “O primeiro dever nosso foi abrir (o mercado) ao capital estrangeiro”, disse Glanzmann. “O segundo dever é o da liberalização de serviços aéreos. Este é um mercado com grande potencial de crescimento”.

 

O secretário afirmou que a abertura do mercado de aviação ao capital estrangeiro, promovida este ano “após décadas de discussões”, pode revolucionar o mercado brasileiro. “Devemos fechar este ano acima de 200 milhões de passageiros”, pontuou, durante evento em Brasília. “Queremos chegar até 2025 com 200 cidades atendidas por transporte aéreo, que é mais eficiente.”

 

Glanzmann pontuou ainda que estão sendo entregues aeroportos importantes em 2019. Ele citou os aeroportos de Florianópolis, já entregue este ano, e os aeroportos de Porto Alegre, Salvador e Fortaleza, que ainda serão entregues. “Essas são as principais entregas em termos de aeroportos, de infraestrutura aeroportuária.”

 

O secretário defendeu, no entanto, que o desafio da infraestrutura no setor de aviação está endereçado no Brasil. “Temos novos desafios, que vêm da liberação do transporte aéreo, da liberação ao capital estrangeiro e também da desregulamentação”, disse. “Estamos trabalhando para que operações low cost (baixo custo) cresçam. Há grande espaço de crescimento”, citou. “O brasileiro, assim como o sul-americano, é muito sensível ao preço (das passagens aéreas). Mas entendemos que ainda temos espaço para redução deste preço.”

 

Glanzmann disse ainda que houve avanços em matéria de custos este ano, com a redução de ICMS do querosene de aviação em vários Estados brasileiros. “São Paulo reduziu de 25% para 12% o ICMS, dentro de um programa de incentivo para voos para a cidade”, citou. “O governo brasileiro tem visão otimista no mercado de aviação civil. Temos condições de, nos próximos anos, entregar a um transporte aéreo de qualidade”, completou.

 

Glanzmann participa hoje de um evento da Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA), o “16º ALTA Airline Leaders Forum”, em Brasília. O evento vai até 29 de outubro.

Fonte: CEABBRASIL