Gol prevê dobrar margem operacional para 13%

(Mercado&Eventos) A Gol Linhas Aéreas quer crescer até 18% em volume de passageiros transportados em 2010, a mesma taxa que prevê para a expansão da demanda por voos domésticos no mercado. A segunda maior companhia aérea brasileira também pretende alcançar uma margem operacional de 13% este ano, praticamente o dobro do resultado do terceiro trimestre de 2009, de 6,6%.

"O Brasil está num momento muito bom, com o crescimento da nova classe média. Cada vez mais pessoas estão preparadas para viajar de avião", afirma o vice-presidente financeiro e de relações com investidores da companhia, Leonardo Pereira.

O executivo diz que a projeção de demanda tem como base um crescimento de até 6% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, já que a aviação comercial cresce, em média, três vezes o resultado do PIB. Já a estimativa de dobrar a sua margem operacional está fundamentada na política da companhia de reduzir custos, aumentar a oferta com aviões maiores e ampliar a utilização diária das aeronaves.

De acordo com as projeções divulgadas ontem, o custo por assento por quilômetro (cask) da Gol deverá se situar entre R$ 0,085 e R$ 0,089 em 2010. No ano passado, a empresa estima que o custo ficou em torno de R$ 0,092. Isso vai ser possível, segundo Pereira, porque a Gol vai aumentar a operação de aeronaves da Boeing 737-800, com capacidade para 185 pessoas, substituindo o modelo anterior, o 737-700, que transportam 144 passageiros.

A Gol também pretende diluir seus custos ampliando a utilização diária de suas aeronaves de 11,9 horas em 2009 para 12,8 horas este ano. "Esse aumento da utilização dos aviões também será possível com um maior número de voos diretos, para cidades como Belém e Manaus, por exemplo", diz Pereira.

O executivo afirma não acreditar que haja uma guerra tarifária em 2010. No entanto, no ano passado, quando a intensa oferta de preços de passagens mais baratas afetou a rentabilidade do setor, o valor médio que o passageiro paga por quilômetro voado (yield, que mede a variação nos preços das passagens) da Gol ficou em torno de R$ 0,20.

Para este ano, o executivo estima que o yield médio da Gol deverá ficar parecido com o registrado do ano passado, entre R$ 0,19 e R$ 0,21.

Fonte: Mercado&Eventos