Com fim de GSAs Delta amplia equipe em 20 pessoas

Depois de 15 anos, a Delta Air Lines mudou sua forma de atuação no Brasil e a partir de 31 de março não vai mais ter a figura dos GSAs como intermediários no contato com o trade. “Estamos satisfeitos com os resultados dessa parceria, mas a mudança se deve ao momento do mercado brasileiro e da companhia no Brasil e na América Latina, que é outro. Por isso, resolvemos mudar em dez países da região, para estarmos mais próximos do trade”, disse Luciano Macagno, diretor Brasil, em entrevista ao Portal PANROTAS.

“Essa mudança é mais um passo em nossa estratégia dos últimos anos de investir pesadamente na região, com o objetivo de sermos a melhor companhia, a melhor opção para os passageiros latinos e brasileiros”, continua ele. A Delta hoje é a segunda companhia aérea americana em quantidade de voos para o Brasil e a América Latina, tem produto premium com poltronas flat bed em todos os seis voos diários do Rio e São Paulo para os Estados Unidos, e acaba de sair na lista da revista Fortune como a 39ª empresa mais admirada do mundo, em todos os segmentos.

Para suprir o fim dos contratos com os GSAs Ancoradouro, Service Plus e Uniamerica, a Delta reestruturou sua equipe de gerentes, nomeou profissionais em seis cidades (Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Campinas e Recife) e estuda ampliar essa presença nas cidades onde não tem voos.

Os novos executivos nessas cidades são Cesar Ciconeti, em Porto Alegre, Tania Naldony, em Curitiba, Rossana Crispi, em Belo Horizonte, Alexandre Prates, em Brasília, Jones Ferraz, em Recife, e Renata Mirandola, em Campinas.

A estimativa de Luciano Macagno é que a equipe aumente em cerca de 20 profissionais. Algumas vagas ainda estão em aberto. Uma das novidades será a criação de um núcleo de apoio a vendas, que ficará na sede em São Paulo e dará suporte aos vendedores do Rio e da capital paulista e aos profissionais pelo Brasil.

Fonte: http://www.panrotas.com.br